O delegado Alexandre Saraiva, que investigou e apresentou notícia-crime contra o ministro do Meio Ambiente Ricardo Salles e o senador Telmário Mota (Pros-RR), em retaliação do Governo Bolsonaro, será trocado do posto de Superintendente da Polícia Federal do Amazonas para outro estado.

O policial federal, que já foi superintendente da PF no Maranhão, garante que o ministro e o senador participaram de uma parceria com o setor madeireiro “no intento de causar obstáculos à investigação de crimes ambientais e de buscar patrocínio de interesses privados e ilegítimos perante a Administração Pública”.

Segundo o site G1, “0 ministro vem criticando nas últimas semanas a conduta da PF depois da realização da maior apreensão de madeira da história do país. Salles alega que a corporação cometeu falhas na ação e sustenta que “não se pode demonizar sem provas” o trabalho dos empresários.

Acompanhe o Blog do Luis Cardoso também pelo Twitter™ e pelo Facebook.