A Prefeitura de São Luís, por meio da Secretaria Municipal de Educação (Semed), tem oferecido uma série de atividades ao público infantil da 13ª Feira do Livro de São Luís (FeliS). Entre elas, estão contação de histórias, declamação de poesias, pintura no rosto, oficinas de desenhos e origami, além de apresentações musicais e teatrais. Com o projeto Carro Biblioteca, as crianças têm, ainda, a oportunidade de conhecer mais sobre as lendas maranhenses e obras de diversos escritores locais.    

O secretário municipal de Educação, Moacir Feitosa, destaca as oportunidades que a Feira do Livro oferece às crianças e aos profissionais da Educação. “A FeliS é espaço de diversão e aprendizado, além disso é um lugar onde os técnicos da Educação mostram seus talentos, suas pesquisas e estudos”, pontua Moacir Feitosa.

Nos Espaços Semed I e II, destinados às crianças, a equipe de contadoras de histórias da Semed estão a postos para levar as crianças ao mundo encantado dos livros por meio da contação. Também nos espaços, além da contação das mais diversas histórias, as crianças podem desenvolver atividades de desenho e leitura, pintura de rosto, teatro e oficina de origami.

Para a coordenadora do Livro Didático Infantil da Semed, Sinara Coelho, a contação é uma forma lúdica de contribuir com o desenvolvimento das crianças. “A contação leva as crianças para um mundo mágico, estimulando a criatividade e a imaginação, principalmente dos pequenos, além de incentivar o interesse pela leitura e pela escrita na vida delas”, disse.

Os carros-biblioteca também estão na Feira do Livro, estacionados atrás dos Espaços Criança. O carro para as crianças pequenas da Educação Infantil tem como tema as lendas maranhenses, como da Serpente Encantada, do Rei Dom Sebastião, da carruagem de Ana Jansen e a história da Mãe Catarina e Pai Francisco. Ainda no acervo literário do carro-biblioteca destinado às crianças menores, está a produção maranhense com obras de autores como Marta Reis, Wilson Marques, Marcio Henrique, Sharlene Serra e Natinho Costa.

Já o outro carro, destinado para estudantes do Ensino Fundamental, traz dois cenários, um sobre a área urbana, com imagens do Centro Histórico de São Luís, e outro da área rural valorizando a natureza. Os dois cenários fazem alusão às brincadeiras e jogos que são realizados nas atividades do carro-biblioteca. Neste segundo carro, há um acervo de mais de 200 livros com textos clássicos da literatura infanto-juvenil, como Os Três Porquinhos, Branca de Neve, Pinóquio, Chapeuzinho Vermelho, entre outros.

PRODUÇÃO CULTURAL

No Espaço FeliS, os estudantes das escolas da Rede Municipal, inscritos no Núcleo de Enriquecimento para Estudantes com Características de Altas Habilidades e Superdotação (NEECAHS), mostraram todo seu talento na literatura e música. Houve apresentação dos escritores mirins do Núcleo, com destaque para Vitória Duarte, 14 anos, estudante da U.E.B Alberto Pinheiro, que tomou posse na Associação de Jornalistas Escritoras do Brasil – Seccional Maranhão, no último domingo (13).

Vitória conta que a poesia sempre fez parte da vida dela e fala porque optou por este estilo literário. “Desde sempre, desde que eu me lembre, sou poeta. Escrevo poesia porque ela serve para espalhar amor e não faz distinção, só é amor. Leiam, fiquem atentos ao que acontece ao redor, alimentem o olhar poético de vocês”, diz a estudante de apenas 14 anos.

Já os estudantes do projeto Musiquê, conduzido no Neecahs pelo professor da rede municipal de ensino, Marcos Freire, e os meninos e meninas da Escola Municipal de Música, conduzidos pela professora Zélia Matias, subiram ao palco do Espaço FeliS. Juntos, eles apresentaram o Hino de Louvação a São Luís e outras músicas. Para o professor Marcos, que também ministra aulas de xadrez no Núcleo, os seis meses de parceria com os meninos da escola de música foram importantes para o aprendizado. Para a professora de música, Zélia Matias,o desenvolvimento dos alunos é evidente. “Os estudantes cresceram musicalmente, as aulas são importantes para que eles tenham mais uma opção na vida”, disse.

MATEMÁTICA

Também pela Semed, outras atividades são conduzidas na 13ª Feira do Livro. Na noite da segunda-feira (14), por exemplo, a técnica da Semed, professora doutora Waléria Soares, palestrou no I Seminário de Educação Matemática da Semed São Luís (I SEMASS). A professora discorreu sobre o ensino da Matemática com o tema: “Discalculia: o que eu, professor que ensina Matemática, preciso saber?”. A professora da rede municipal também aproveitou a ocasião para relançar sua produção: “XIX – Uma história, uma cidade e os primórdios da Matemática escolar”.

O I Seminário de Educação Matemática da Semed São Luís foi planejado com a intenção de fomentar a discussão sobre os desafios do ensino da Matemática nos dias atuais. O Seminário contará com a participação de professores e estudantes de várias instituições, além da Semed, como a Universidade Estadual do Maranhão, a Universidade Federal do Maranhão, o Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Maranhão (IFMA), a Faculdade do Maranhão (Facam), e a Secretaria de Estado da Educação (Seduc), entre outras que desenvolveram trabalhos e pesquisas no âmbito da educação matemática. As atividades deste espaço vão até sábado (19).

Acompanhe o Blog do Luis Cardoso também pelo Twitter™ e pelo Facebook.