Segundo Ministério da Saúde do Brasil, hospital apresentou melhor resultado na primeira etapa do projeto Lean nas Emergências e, por isto, foi indicado como exemplo aos haitianos que visitaram a unidade de saúde para conhecer melhor o trabalho

O prefeito Edivaldo Holanda Junior recebeu em seu gabinete a comitiva do Ministério da Saúde e da População do Haiti que veio a São Luís conhecer experiência exitosa colocada em prática no Hospital Clementino Moura (Socorrão II). Liderada pelo chefe de gabinete do ministério, Paul Mentor, a comitiva, que passou quase três dias na capital maranhense, veio conhecer o trabalho desenvolvido no hospital por meio do Lean nas Emergências, projeto do Ministério da Saúde, implementado com assessoria do Hospital Sírio-Libanês e que agora está na fase de sustentabilidade. O Haiti manifestou interesse em levar o projeto brasileiro para seu país e o Ministério da Saúde do Brasil indicou o case de São Luís por ser a referência nacional do projeto. Esta ação soma esforços às iniciativas da gestão do prefeito Edivaldo para promover melhorias na rede municipal de saúde. Depois da agenda com o prefeito, a equipe visitou, na terça-feira (24), as dependências do Socorrão II e se reuniu com profissionais da unidade de saúde.

O Socorrão II se tornou referência pelos resultados significativos na melhoria do atendimento no pronto-socorro. Os dados apontam uma redução de 70% na superlotação entre os meses de novembro de 2018 e abril de 2019, fase de intervenção do projeto. O tempo de passagem do paciente pelo pronto-socorro reduziu para 27%, quando não precisa de internação; e 20%, quando a internação é necessária.

Acompanhado do vice-prefeito Julio Pinheiro e do secretário Municipal de Saúde, Lula Fylho, bem como da equipe do Socorrão II, o prefeito Edivaldo destacou que sua gestão deixará muitos legados para São Luís e as melhorias na saúde pública municipal será mais um marco. “Temos feito todos os investimentos possíveis para reestruturar o atendimento em saúde da nossa rede. Esta parceria entre a Prefeitura e o Ministério da Saúde foi mais uma contribuição importante neste processo. Eu fico feliz que São Luís e o Haiti possam caminhar lado a lado. Tenho certeza que os resultados positivos que temos obtido na nossa cidade se repetirão no Haiti”, disse o gestor municipal.

VISITA

Durante a visita a setores do hospital Socorrão II, os haitianos verificaram de perto como a metodologia influenciou na rotina de trabalho e no fluxo de pacientes no pronto-socorro. Eles conheceram a dinâmica do atendimento na recepção, classificação de risco, consultórios médicos, pronto-socorro (incluindo as salas de decisão médica vermelha e laranja), unidade de curta permanência, núcleo interno de regulação (NIR), ortopedia, enfermarias e a unidade de terapia intensiva (UTI).

O secretário municipal de Saúde, Lula Fylho, recebeu a comitiva no hospital e destacou os impactos do projeto Lean, na qualificação da assistência prestada ao usuário. “Uma das determinações da gestão do prefeito Edivaldo é buscar ferramentas para otimizar o atendimento de urgência e emergência, que tem uma grande demanda; por isso, procuramos instituições parceiras, e com o conhecimento técnico que elas nos disponibilizam, reformulamos os procedimentos e fizemos alguns ajustes, que estão proporcionando mais resolutividade”, explicou aos haitianos.

Para Paul Mentor, diretor do Gabinete do Ministério da Saúde do Haiti, a visita ao Socorrão II ofereceu subsídios que serão aplicados no sistema de saúde haitiano. “Foi uma grande oportunidade para nós verificarmos a metodologia de perto, pois queremos não apenas observar o processo, mas levá-la para o dia a dia dos nossos hospitais”, declarou.

Além da comitiva do Haiti, a diretora do Departamento de Urgência Hospitalar do Ministério da Saúde, Adriana Teixeira, acompanhou a visita e ressaltou a parceria com o hospital Sírio-Libanês e as perspectivas para 2020. “A metodologia Lean é um dos projetos que mais tem trazido resultados positivos, porque percebemos a mudança acontecer de forma muito rápida nos hospitais. O objetivo é chegarmos até 2020 com 100 unidades participantes do projeto, em todo o país”, afirmou.

 REFERÊNCIA NACIONAL

O Socorrão II foi a instituição que apresentou o melhor resultado na primeira etapa do projeto, ficando em primeiro lugar entre os 20 hospitais brasileiros participantes. Por isso, quando foi procurado pelo Ministério da Saúde e População do Haiti, o governo brasileiro indicou São Luís como case para os haitianos.

Além disso, técnicos do Socorrão II vão participar do II Workshop de Capacitação sobre a Metodologia Lean, promovida pelo Ministério da Saúde e o Hospital Sírio-Libanês,em São Paulo, no dia 10 de outubro, para compartilhar as experiências locais.

Acompanhe o Blog do Luis Cardoso também pelo Twitter™ e pelo Facebook.