Professores e auxiliares de Educação que integram a Rede Municipal de Ensino da Prefeitura de Rosário participaram, na manhã de terça-feira, 17, do lançamento do Programa Mais Alfabetização. Durante o encontro, no auditório da Secretaria Municipal de Educação (Semed), os educadores puderam tirar dúvidas e obter esclarecimentos sobre a execução do programa federal de apoio à educação.


O programa vai beneficiar diretamente 1.265 alunos matriculados em 30 escolas no município de Rosário, como explica a coordenadora do programa, Kely Cristina de Souza. “O Mais Alfabetização vem com esse reforço na educação com a garantia do assistente junto com o professor em sala de aula, que vai agilizar o processo de alfabetização dos estudantes de todas as turmas do primeiro e segundo anos do ensino fundamental”, explicou.

A presença do assistente de alfabetização será organizada por turno de trabalho de 5 a 10 horas, no horário normal das aulas. No Mais Alfabetização, todo professor contará com o apoio do assistente para o desenvolvimento de atividades pedagógicas, com recursos específicos para a contratação obtidos por meio do Programa Dinheiro Direto na Escola (PDDE). “Cada escola deverá organizar sua metodologia de trabalho, de acordo com a orientação da secretaria municipal e do projeto político pedagógico”, complementou Kely Cristina.

No Mais Alfabetização as escolas e redes farão ainda avaliações periódicas para acompanhar a aprendizagem das crianças e dar suporte ao replanejamento do trabalho desenvolvido pelas escolas considerando os resultados obtidos com o programa.

Para ser considerado alfabetizado o estudante deve compreender o funcionamento do sistema alfabético de escrita; construir autonomia de leitura e se apropriar de estratégias de compreensão e de produção de textos. Já em matemática, deve aprender a raciocinar, representar, comunicar, argumentar, resolver problemas em diferentes contextos, utilizando conceitos, procedimentos e fatos matematicamente.

Sobre o programa
A portaria que instituiu o Programa Mais Alfabetização pelo Ministério da Educação foi publicada em janeiro deste ano. Em todo o país, o investimento está orçado em R$ 523 milhões para 2018.

O Mais Alfabetização faz parte de uma série de ações com objetivo de mudar positivamente os resultados da Avaliação Nacional de Alfabetização (ANA) de 2016, divulgados pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) no final de 2017.

De acordo com a ANA, os níveis de alfabetização das crianças brasileiras em 2016 são praticamente os mesmos que em 2014. Os resultados revelaram que 54,73% dos estudantes acima dos 8 anos, faixa etária de 90% dos avaliados, permanecem em níveis insuficientes de leitura. Encontram-se nos níveis 1 e 2 (elementares). Na avaliação realizada em 2014, esse percentual era de 56,1. Outros 45,2% dos estudantes avaliados obtiveram níveis satisfatórios em leitura, com desempenho nos níveis 3 (adequado) e 4 (desejável). Em 2014, esse percentual era de 43,8.

A terceira edição da ANA foi aplicada pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) entre 14 e 25 de novembro de 2016. Foram avaliadas 48.860 escolas, 106.575 turmas e 2.206.625 estudantes.

Acompanhe o Blog do Luis Cardoso também pelo Twitter™ e pelo Facebook.