Do Atual7

O governador Flávio Dino, do PCdoB, foi envergonhado diante de toda a imprensa nacional, nessa quinta-feira (30), após a reunião dos governadores com a presidente Dilma Rousseff, no Palácio da Alvorada, em Brasília.

De acordo edição imprensa desta sexta-feira (31) do jornal Correio Braziliense, Dino declarou que durante a reunião houve uma defesa do mandato da petista com intuito de garantir a estabilidade política e econômica do país.

“Houve uma defesa clara e inequívoca da estabilidade institucional, da ordem democrática do Estado de direito e contra qualquer tipo de interrupção das regras constitucionais vigentes, portanto, a manutenção do mandato legítimo da presidenta Dilma Rousseff, que foi eleita para cumprir até o fim”.

No entanto, ainda segundo o Correio Braziliense, quando o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), foi questionado sobre o assunto, o tucano revelou que esse assunto sequer foi nem colocado em pauta pela presidente, e que a defesa é de investigar até o fim as acusações contra o Governo. “Isso não foi dito pela presidente Dilma nem está em discussão. Em relação a isso, nós defendemos o quê? Investigação, investigação e investigação. Cumprir a Constituição. Isso não esteve na pauta”, resumiu.

Além de desmentir o governador do Maranhão, Alckmin ainda lembrou que, se houver algum indicativo de crime de responsabilidade no julgamento que será pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE) sobre possíveis doações irregulares à campanha de Dilma em 2010; ou de crime de responsabilidade fiscal, na análise empreendida pelo Tribunal de Contas da União (TCU) sobre as pedaladas fiscais praticadas em 2014, o impeachment é uma saída constitucional prevista.